Pesquisa revela que 41% das empresas pretendem contratar em 2018

funcionários em 2018. Essas perspectivas são um reflexo de uma esperada melhora no faturamento dessas empresas para o próximo ano. A mesma pesquisa foi feita no ano passado, e apenas 26% das empresas apontaram que pretendiam ampliar o número de funcionários em 2017. A pesquisa foi divulgada no dia 5 de dezembro de 2017 pela Deloitte.

Os dados da pesquisa também apontaram que um total de 12% das empresas entrevistadas pretendem diminuir a quantidade de funcionários já contratados no próximo ano. O restante das empresas, 47% das entrevistadas, revelaram que não pretendem contratar e nem demitir no ano que vem.

Em relação às perspectivas de melhora no faturamento, as empresas responderam em média que as vendas deverão subir quase 20% entre o final deste ano e o começo de 2018. A pesquisa também revelou que as empresas pretendem ampliar os investimentos no ano que vem. Um total de 63% das empresas entrevistadas responderam que a expectativa de retomada da economia brasileira é o motivo principal que faz com que as empresas acreditem em um cenário melhor para as vendas no ano que vem.

Dentre as estimativas apontadas pelas empresas, a pesquisa revelou que a parcela que pretende ampliar o número de funcionários estima um aumento de 15,8% de contratação em 2018. Isso também poderá ser sentido nos investimentos que acontecerão em relação a ampliação de funcionários contratados pelas empresas. Os dados apontados pelo IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, do terceiro trimestre de 2017, revelaram que os investimentos tiveram uma alta após 4 anos consecutivos de queda no Brasil.

O maior motivo citado pelas empresas entrevistadas para os investimentos que deverão ocorrer no ano que vem foi o lançamento de produtos e serviços, que responderam por 56% das empresas. Ainda sobre o motivo dos investimentos, uma parcela de 40% prevê a substituição de equipamentos, máquinas e instalações, e outros 19% pretendem investir para ampliar os pontos de vendas da empresa.

Já o motivo menos citado para os investimentos, segundo 8% das respostas, é a abertura de novas fábricas no ano que vem.

 

Estado de São Paulo criou 11.349 vagas de emprego em outubro de 2017

O estado de São Paulo teve o segundo melhor retrospecto na geração de novas vagas de emprego formais em outubro de 2017, fechando o mês na casa de 11.349 empregos gerados. Este resultado chega a ser 0,09% maior em comparação com o mês de setembro deste ano. A responsabilidade destes dados são do Caged – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, e foram divulgados no dia 20 de novembro deste ano pelo MTE – Ministério do Trabalho.

Este ótimo resultado é em relação ao cálculo de 353.787 vagas de empregos geradas, subtraídas de 342.438 demissões no mês de outubro no estado de São Paulo. “Os números do mercado de trabalho paulista mostram a recuperação gradual e sustentável da economia e confirmam que estamos no caminho certo para a retomada do desenvolvimento do país”, afirmou Ronaldo Nogueira, ministro do Trabalho.

Com o segundo lugar no saldo positivo de geração de empregos no mês de outubro deste ano – estando atrás apenas de Alagoas, com a criação de 16.393 vagas de empregos formais, os setores que mais tiveram bons resultados este ano foram os setores de: Comércio, Serviços, e Indústria da Transformação, com 9.181, 6.092 e 4.480 novas vagas de empregos geradas, respectivamente. O saldo no acumulado na geração de empregos formais no estado de São Paulo de janeiro a outubro deste ano, atingiu a casa de 124.876 vagas geradas.

Extrativa Mineral (5);

Indústria de Transformação (4.480);

Serviços Industriais de Utilidade Pública – SIUP (-80);

Construção Civil (-2.095);

Comércio (9.181);

Serviço (6.092);

Administração Pública (-199);

Agropecuária (-6.035);

Total (11.349).

A concentração na criação destas vagas ficou na capital do estado. O município de São Paulo demonstrou um saldo positivo de 3.009 em postos de trabalho criados em outubro deste ano. Em seguida aparecem o município de São José dos Campos, Ribeirão Preto, Guarulhos e Campinas, com 854, 756, 690 e 679, respectivamente.

O saldo na criação de novas vagas de empregos em todo o Brasil, demonstra saldo positivo de 302.189 novas vagas geradas entre os meses de janeiro e outubro deste ano. “São números que nos dão ainda mais certeza de que as medidas adotadas pelo governo colocaram o Brasil de volta nos trilhos do crescimento econômico”, explica Nogueira. O país teve um saldo positivo na geração de emprego de 0,79% de janeiro a outubro deste ano. O Brasil teve saldo positivo no mês de outubro deste ano, fechando o mês com 0,20% positivos em comparação com setembro deste ano.

Trabalhadores são contemplados com serviços onlines revolucionários, diz ministro

Segundo o ministro Ronaldo Nogueira, ministro do Trabalho, “está lançada uma nova e revolucionária plataforma à disposição dos trabalhadores brasileiros”. O ministro fez menção sobre um pacote de quatro novos serviços voltados para o atendimento do trabalhador brasileiro lançado no dia 21 de novembro de 2017.

O ministro também esteve acompanhado do presidente da república Michel Temer durante o lançamento dos quatro serviços onlines, que possibilita uma Carteira de Trabalho no smartphone, encaminhamento seguro e rápido do Seguro-Desemprego, cursos profissionalizantes online e gratuitos para todo o Brasil e acesso à vagas de emprego de forma mais rápida e focada.

“Vivemos na era da revolução digital, que mudou radicalmente a forma das pessoas viverem, agirem e consumirem serviços. Estamos conectando o governo federal a essa realidade, colocando esses serviços importantes acessíveis à palma da mão”, explicou Nogueira durante a realização da cerimônia.

Segundo o presidente da república, esses serviços terão o potencial de ampliar o contato de trabalhadores com serviços essenciais de forma mais rápida e acessível para todos. Essa é uma iniciativa de grande importância do Ministério do Trabalho em prol da qualidade e da modernização dos serviços prestados para o trabalhador brasileiro. “Esse instante segue a regra do nosso governo, que é colocar o Brasil no século 21”, diz Temer.

A estimativa lançada pelo ministro é de que um número de 6 milhões de trabalhadores possam se qualificar através da Escola do Trabalhador. Essas são qualificações profissionais que permitiram o trabalhador ter mais opções de emprego. O projeto é denominado “conhecimento sem fronteiras”, e qualquer pessoa pode acessá-lo através de um computador e uma internet. Os interessados podem acessar o link e fazer um dos cursos disponíveis gratuitamente. Ao todo, são 50 cursos disponíveis que estarão na plataforma até o fim de 2018.

O Seguro-Desemprego pela internet é uma das melhorias que irá permitir mais agilidade na solicitação deste direito assim que a empresa emitir o documento de demissão junto ao site do Ministério do Trabalho.

A Carteira de Trabalho Digital permitirá que o trabalhador tenha sempre em mãos os dados da carteira de trabalho física, basta ter em mãos um smartphone, tablet ou computador com conexão com a internet e acessar as informações.

Para procurar vagas de emprego, o aplicativo Sine Fácil 2.0 irá permitir uma busca rápida e segura de vagas de emprego por trabalhadores de todo o país.

 

Fluxo de visitantes em shopping centers aumentou 10,9% em outubro

A Abrasce – Associação Brasileira de Shopping Centers, divulgou recentemente um relatório alegando que houve um aumento de 10,9% no fluxo de visitantes em shopping centers de todo o país no mês de outubro. Segundo a Abrasce, o aumento é em relação a uma comparação entre os meses de outubro e setembro deste ano. A associação ainda informou que o aumento ocorrido em outubro teve grande influencia do Dia das Crianças, que alavancou o fluxo de visitantes nesses espaços comerciais.

Comparado ao ano passado, o mês de outubro deste ano registrou uma alta um pouco menor no fluxo de visitantes, sendo ela de apenas 0,36%.

Os dados sobre o fluxo de visitantes nos shopping centers do país foram coletados através do IVSC – Índice de Visitas a Shopping Centers, que foi desenvolvido em uma parceria com a empresas de análises financeiras, FX Retail Analytics.

Dentre as regiões do país que foram analisadas pelo índice, a região do Nordeste foi a que mais se destacou em relação ao fluxo de visitantes nos shopping centers da região. Em uma comparação anual, o Nordeste teve um crescimento de 3,75% no fluxo de visitantes. Já o pior desempenho ficou para a região Sul do país, que apresentou uma queda de 7,11% no mês de outubro em uma comparação com o mesmo mês do ano passado. No Sudeste do país, o índice avançou apenas 1% em relação ao ano passado.

A Abrasce avalia que os números positivos para o setor demonstram os efeitos causados pela retomada da economia, que já pode ser sentida em diversos aspectos do dia a dia dos brasileiros. Segundo a associação, os números do mês de outubro confirmam que este ano será marcado pela retomada econômica do país.

O sócio fundador da empresa FX Retail Analytics, Walter Sabini Junior, disse sobre os novos dados levantados: “A tendência é de que a Black Friday e as compras de fim de ano mantenham a alta que marcou o ano de 2017”.

Em relação aos primeiros 10 meses do ano, o índice demonstrou uma alta acumulada de 0,56% em comparação com o mesmo período do ano passado.