Conheça melhor a história e as conquistas da incorporadora JHSF

Os primeiros passos da empresa remontam ao ano de 1972, que foi quando Fábio Auriemo e José Roberto Auriemo, com mais dois sócios, criaram a JHS, um negócio que atuava especialmente no ramo da construção. Anos mais tarde, depois de ocorrer uma cisão entre os sócios, a JHS acabou se transformando na JHSF, tendo o executivo Fábio Auriemo ocupando o cargo de presidente.

Após essa mudança, a JHSF também alterou a sua área de atuação e passou a focar no ramo da incorporação, que crescia rapidamente durante os anos 90. Com o passae do tempo, esse ramo se tornou responsável por mais de 90% dos lucros da incorporadora, o que exalta a importância dessa nova estratégia de ação adotada pela empresa.

Ao começar a investir no segmento da incorporação, a JHSF se envolveu em vários projetos de prédios comerciais, até avançar para a incorporação de centros comerciais, como o Shopping Metrô Santa Cruz e o Shopping Metrô Tucuruvi, ambos em São Paulo.

No início dos anos 2000, a empresa se aventurou no ramo da incorporação de luxo, o qual trouxe vários desafios para a JHSF. O maior deles foi o projeto do Parque Cidade Jardim, que necessitou de vários anos de trabalho árduo até ser concluído. Com esse projeto, a incorporadora obteve ótimos lucros com a venda e a locação dos empreendimentos que se encontram dentro desse complexo, como um enorme shopping center com lojas de grife, prédios comerciais e residenciais, restaurantes e inclusive uma sede hotel de luxo Fasano.

Para viabilizar e tirar do papel o projeto do Parque Cidade Jardim, a JHSF se inspirou nos grandes complexos de luxo muito comuns no exterior, os quais são chamados de “empreendimentos multifunções”. A grande liderança por trás do projeto foi o executivo José Auriemo Neto, filho de Fábio Auriemo, que apostou nessa ideia desde o início por acreditar que a capital paulista carecia de um empreendimento desse porte.

Além disso, a incorporadora também fez parte de projetos de incorporação de luxo em outros países da América do Sul, como o Uruguai, onde desenvolveu um condomínio de veraneio voltado para a alta renda.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *