Guilherme Paulus: um empresário brasileiro de sucesso no ramo da hotelaria

Resorts, hotéis e empresas de turismo têm sido apontados como alguns dos melhores empreendimentos comerciais do mundo contemporâneo. O executivo Guilherme Paulus é um dos empresários astutos que aproveitou a situação e investiu pesadamente na indústria da hospitalidade. Mais sobre ele é revelado abaixo.

Paulus e seu jeito empreendedor

Alguns dos mais destacados empreendimentos de propriedade e operados pelo executivo Guilherme Paulus incluem a GJP Hotels and Resorts e a CVC Brasil. O empresário começou como um jovem estagiário trabalhando para a IBM e cresceu ao longo dos anos para se tornar um dos homens de negócios mais bem-sucedidos do país.

A GJP Hotels and Resorts opera mais de 20 resorts. O executivo Paulus entende a importância de espalhar riscos devido ao seu longo período na área de negócios. Isso o levou a abrir hotéis em lugares como o Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador. A GJP Resorts and Hotels emprega, nos dias de hoje, mais de cinco mil funcionários, tendo se tornado um dos maiores empregadores do território brasileiro.

Como surgiu a CVC?

O executivo Paulus é rápido em afirmar que a ideia de estabelecer CVC e GJP Hotels and Resorts veio de Vincente Cerchiari, um conhecido que conheceu durante uma viagem. Após as consultas, eles concordaram que Vincente Cerchiari forneceria o capital necessário para o negócio, enquanto Paulus trabalharia nos hotéis.

Princípios orientadores e cronograma de trabalho do empresário Guilherme Paulus

O executivo Guilherme Paulus tem alguns princípios que o guiam no dia a dia. Por exemplo, Paulus acredita em otimismo e sempre olha para o lado positivo da vida, apesar dos desafios. Além disso, ele adere a um cronograma rigoroso de trabalho que o faz acordar cedo.

Ao acordar, ele escreve uma programação semanal que permite que ele planeje todas as atividades da semana de antemão. Ele confessa que sua agenda também o torna mais produtivo e organizado.

Conselhos para futuros executivos do empresário Paulus

O sucesso atrai a atenção. Portanto, o executivo Paulus está ciente de que há jovens que olham para ele como um modelo. Ele aconselha-os a procurar sempre conselhos de pessoas idosas devido à sua sabedoria. Além disso, o brasileiro também aconselha que é sempre prudente delegar tarefas mais leves à equipe júnior, a fim de se concentrar em deveres mais importantes.

 

Conclusão sobre as empresas de Paulus

Do exposto, pode-se notar que as empresas de Guilherme Paulus, a GJP Hotels and Resorts e a CVC Brasil, comandam uma parte considerável da indústria de hospitalidade na América do Sul.

Os empresários que procuram se aventurar na indústria da hospitalidade podem pegar uma folha emprestada e seguir os passos desse executivo se quiserem atingir o mesmo nível de sucesso.

Com certeza, seguir essa trilha é um jeito certo para se alcançar êxito nos negócios e renome nacional e internacional. Isso sem falar, claro, nas ótimas referências que você terá como base e até poderá repassar a outros colegas seus desse mesmo ramo do mundo business.

Dá para alcançar o sucesso do zero?

Iniciar um empreendimento do zero nem sempre é fácil não é mesmo? Afinal, são necessários inúmeros aspectos e passos a serem seguidos para que tudo saia da melhor maneira possível. Além de planejamento e de foco, é necessário organização e disciplina. Na hora de começar, muitos aspirantes a empresários ‘quebram’ a cabeça pensando por onde podem começar, porém, existe uma dica muito simples. Comece do mais fácil, acessível e necessário: o começo.

Antes de largar o emprego do nada, em um momento de impulsividade, pense no que te leva a abrir um empreendimento. Um capricho? O dinheiro? A melhora de vida? Independente do que seja, tem que ser algo que te motive de verdade, de uma maneira, que mesmo nos momentos mais difíceis, você continue.

Depois de ter pensado na motivação, é necessário planejamento, afinal, você não vai largar o seu emprego do nada ou pegar um empréstimo gigantesco sem nem ao menos se planejar. Por isso, coloque absolutamente tudo na mesa: suas contas mensais, o cartão de crédito; aqueles gastos bobinhos e claro, uma prévia do que você precisará investir inicialmente e o que será gasto todos os meses no empreendimento. Sabendo a média do que você gastará será possível se planejar financeiramente e começar a pensar no tipo de negócio que se enquadra no seu bolso, se você por exemplo pretende abrir uma startup para comercializar cesta de presente, ou uma franquia de bolos, ou outro, além de pensar no ramo em que gostaria de atuar e com o que mais se identifica é importante o planejamento financeiro.

Depois de se planejar; saber o quanto dispõe, o quanto está disposto a gastar e qual o ramo em que atuará, será necessário estudar. Não estou falando necessariamente de voltar a fazer cursos e especializações (embora seja uma boa, afinal, conhecimento é sempre bom), mas sim, de estudar o nicho e as notícias em que você deseja atuar; o mercado; os seus concorrentes e o que está em alta neste mercado.

Caso seja possível, dê uma atenção especial ao seus concorrentes, afinal, eles estão há muito no mercado, e já venceram inúmeros obstáculos, com os quais você, invariavelmente, irá se deparar. Por isso, estude, mantenha o foco e esteja disposto, afinal, o seu empreendimento gastará um bom tempo da sua vida, mas se é mesmo o que você deseja, será uma experiência e uma jornada proveitosa.

Meghan Markle é convidada para fazer participação especial na série “Suits”

Após o casamento com o Príncipe Harry, a vida de Meghan Markle como a nova duquesa de Sussex se tornou bastante atarefada. Diariamente, a duquesa participa de diversos tipos de compromissos ligados a realeza, incluindo eventos de caridade e viagens diplomáticas pelos países que fazem parte da Commonwealth.

Contudo, antes de se tornar parte da família real britânica, Meghan Markle já era conhecida por sua bem sucedida carreira de atriz nos Estados Unidos, especialmente por sua participação na série “Suits”, exibida pelo canal a cabo USA Network.

No seriado, Meghan Markle interpretou por vários anos a personagem Rachel Zane, uma advogada que tenta se estabelecer no ramo do direito por conta própria, sem fazer uso da influência de seu pai, um prestigiado promotor de justiça.

Segundo notícias divulgadas pelo jornal americano Daily Star, o conglomerado NBCUniversal Media, responsável pelo USA Network, teria acabado de propor uma oferta milionária com o intuito de convencer Meghan Markle a participar de um episódio especial da série. A emissora ainda esclareceu que esse cachê poderia ser revertido como doação a alguma entidade filantrópica amparada pela duquesa.

Em entrevista ao jornal, uma fonte da emissora revelou que essa oferta seria de US$ 6 milhões. Apesar de parecer um valor elevado para uma participação especial, a emissora acredita que o retorno de Meghan Markle seria um dos maiores trunfos de marketing da história da televisão norte-americana. Para convencer Meghan, o USA Network ainda se comprometeu a gravar as cenas na Inglaterra, que é onde a duquesa reside atualmente com o marido.

No Reino Unido, o último episódio de “Suits” que contou com a presença de Meghan Markle no elenco foi exibido no mês de abril, menos de 30 dias antes do casamento real, que ocorreu no histórico Castelo de Windsor.

A série foi ao ar pela primeira vez em junho de 2011, criada e produzida por Aaron Korsh. Meghan Markle atuou como uma das protagonistas do programa durante as sete primeiras temporadas, ao lado dos atores Patrick J. Adams, Gabriel Macht, Sarah Raffeety, Gina Torres e Rick Hoffman, vários dos quais compareceram ao casamento da ex-colega de trabalho.

Guilherme Paulus e a sua vontade de fazer acontecer no mundo dos negócios

O ano de 1972 provou ser um período de mudanças significativas para Guilherme Paulus, já que o ex-estagiário da IBM se reuniu com Carlos Vicente Cerchiari durante uma viagem de barco, e foi presenteado com a oportunidade de uma vida.

Carlos Vicente Cerchiari, que estava interessado em abrir uma agência de viagens em sua cidade natal, fechou um acordo com Guilherme Paulus, que concordou em realizar as tarefas operacionais do dia-a-dia, enquanto o primeiro forneceu o capital inicial.

Depois de quatro anos trabalhando juntos, Paulus se separou de Cerchiari e, em 1995, o hoteleiro e empresário abriu seu primeiro hotel e criou o ponto de partida para o que eventualmente se tornaria GJP Hotels and Resorts.

Hoje, sob a liderança de Guilherme Paulus, a GJP Hotels and Resorts cresceu e se tornou o negócio mais proeminente do gênero em toda a América Latina, com mais de 20 locais pertencentes à bandeira GJP.

Ao longo de sua carreira, Paulus abriu caminho em toda a indústria de turismo da América Latina e, por ser uma inovação consistente no setor, foi eleito o Empreendedor do Ano de 2017.

Ele atribui muito do seu sucesso ao trabalho árduo, perseverança, e destemor, mas é sua paixão por sua carreira, e consistentemente positiva perspectiva, que levou o hoteleiro ao escalão superior.

Com mais de 5.000 funcionários contratados pela GJP Hotels & Resorts, Paulus faz um esforço para visitar uma série de seus hotéis a cada semana, dando a ele a oportunidade de ver as operações diárias de uma perspectiva íntima. Isso também dá a Paulus a chance de cultivar os muitos relacionamentos que ele desenvolveu com sua equipe, bem como sua base de consumidores.

Para se manter na vanguarda da indústria de turismo, como empreendedor, Guilherme Paulus se mantém em sintonia com o que está por vir, bem como com as tecnologias existentes que afetarão indústrias do mundo todo.

Como as informações continuam a ser transferidas de formas mais rápidas e cada vez mais inovadoras, a separação entre empresa e cliente foi, efetivamente, minimizada por uma margem tremenda.

A paixão de Paulus pelo empreendedorismo só é aumentada com os avanços empolgantes que estão ocorrendo atualmente, disponibilizando mais possibilidades a cada dia.

Ao refletir sobre sua carreira, Paulus destaca a capacidade de buscar e receber conselhos, como um ponto que ele enfatizaria para si mesmo, sendo que essa é uma ferramenta valiosa que é subutilizada no início da vida adulta.

Guilherme Paulus e a preparação para abrir uma nova bandeira de hotéis de luxo em SP

Hoje, o empresário prepara-se para inaugurar um novo hotel de luxo em São Paulo. O hotel deverá ficar localizado na antiga agência de publicidade DPZ, na avenida Cidade Jardim. A inauguração deve ocorrer entre os anos de 2020 e de 2021.

A previsão é que a estrutura hoteleira ofereça aos seus hóspedes um restaurante, um espaço para eventos, um rooftop e ainda 65 apartamentos.

Atualmente, os principais hotéis de luxo da GJP Hotels & Resorts estão na Serra Gaúcha: são eles o Wish Serrano Resort e o Saint Andrews Gramado. Outras marcas do grupo hoteleiro são a Link e a Prodigy.

Novo presidente do BNDES assume o cargo e promete combater o patrimonialismo

No dia 7 de janeiro de 2019, assim que tomou posse da presidência do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy disse que o banco de fomento irá combater de frente as distorções e o patrimonialismo observados até então. As medidas serão tomadas para que aconteça uma adequação diante das condições em que o Brasil passa nos últimos anos, considerando expectativas para o futuro junto às promessa feita pelo novo governo.

As notícias sobre as expectativas geradas pela nova gestão do BNDES foram divulgadas durante a cerimônia de posse do novo presidente da instituição. “O patrimonialismo, um termo ligado a um Estado que não faz limitações e distinções do público e do privado deve deixar de existir. Para isso acontecer, devemos fazer um uso assíduo da ética, responsabilidade e transparência”, diz Levy. “O principal papel do banco é oferecer ferramentas e possibilidades de desenvolvimento junto ao mercado”, reforça Levy.

O novo presidente do BNDES também afirmou que serão continuados os ajustes de balanço do banco, que necessitam de muitos recursos vindos do Tesouro Nacional. Segundo Levy, mesmo que a subordinação tenha sido minimizada ao longo dos últimos anos, esse balanço ainda deverá ser readequado para que ocorra o fortalecimento da economia do banco e um retorno de capital ao BNDES, explicou Levy.

Joaquim Levy passou a assumir o banco oficialmente após uma cerimônia que aconteceu no Palácio do Planalto no dia 7 de janeiro deste ano. Alguns Ministros e membros do atual governo também estiveram presentes na cerimônia de posse, assim como outros presidentes de instituições que assumiram no dia 7 de janeiro, como Pedro Guimarães, novo presidente da Caixa Econômica Federal e Rubem Novaes, que assumiu a presidência do Banco do Brasil.

Ao substituir Dyogo Oliveira, que passou a ser presidente do BNDES desde abril do ano passado, Joaquim Levy dá início a uma nova gestão que pretende “arrumar a casa” nos próximos 4 anos. Formado em engenharia e doutor em economia, Levy tem um histórico de muita experiência para assumir o cargo. O novo presidente do BNDES já foi secretário adjunto no Ministério da Fazenda em 2000 e possui anos de experiência em economia.

Vendas do setor automotivo crescem em 2018

Boas notícias para o setor automotivo. Em 2018 a alta do setor foi de 13,58% nas vendas em relação a 2017 e em 2019 as perspectivas é de um novo aumento. Os números foram divulgados pela Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores).

Segundo a entidade, os emplacamentos em todos os segmentos, que incluem automóveis de passeio, veículos comerciais leves, caminhões, motocicletas, ônibus e outros veículos demonstraram um crescimento de 13,58%. Ao todo foram 3.653.500 unidades emplacadas, ante as 3.216.730 em 2017.

Os números de dezembro

Dezembro foi um dos melhores meses para o setor, que manteve o ritmo acelerado das vendas em todos os segmentos acima mencionados. Em relação a novembro, a alta registrada foi de 3,36% com um total de 331.153 emplacamentos, ante 320.397 unidades de novembro. Em relação a dezembro de 2017, quando foram emplacados 301.240 unidades, o aumento foi de 9,93%.

De acordo com o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, os números de 2018 foram acima das expectativas. “Iniciamos 2018 com uma expectativa de alta mais moderada”, ressalta Alarico, que atribuiu o bom momento a melhora acentuada da economia e a confiança dos consumidores.

Alarico também ressaltou os investidores que obtiveram um desempenho melhor do que o esperado. Segundo ele, mesmo com acontecimentos negativos, a exemplo da greve dos caminhoneiros, período pré-eleitoral conturbado, o mercado manteve o bom ritmo. Ele comentou que o segmento reagiu positivamente ao resultado do pleito para presidente.

Expectativas para 2019

Neste ano, os números também devem ser positivos. As perspectivas da Fenabrave é de crescimento de 11% nas vendas de carros e comerciais leves em relação a 2018 e 15,9% nos emplacamentos de caminhões e ônibus.

As estimativas se baseiam no volume de vendas de 2018, mas ainda são moderadas, tendo em vista a transição de governo e demais expectativas do mercado. Vale ressaltar que o setor automotivo ainda é um dos mais expressivos do país, principalmente pelo potencial de consumo do brasileiro.

Empreendedorismo

Definido mais simplesmente, um empreendedor é uma pessoa que identifica uma necessidade e inicia um negócio para preencher esse vazio. Mas essa definição básica fornece pouca percepção dos traços e atributos específicos do personagem que fazem uma pessoa prosperar como empreendedora.

Antes de deixar o seu trabalho diário para perseguir essa ideia que está surgindo no fundo da sua mente, considere se você tem a constituição necessária para torná-la um empreendedor. Veja o que fundadores de empresas e líderes empresariais disseram ao Business News Daily sobre o que eles acham que torna um empreendedor verdadeiramente bem-sucedido.

“O empreendedorismo é o cerne do sonho americano. Trata-se de abrir novos caminhos , acreditar em si mesmo, sua missão e inspirar outros a acompanhá-lo na jornada. O que distingue [empreendedores] é a vontade, coragem e imprudência para realmente fazer isso “. – Derek Hutson, CEO da Datical

“Empreendedorismo é a progressão persistente em direção a uma solução inovadora para um problema-chave. É a constante ânsia de melhorar as coisas e a idéia de que você nunca está satisfeito com o modo como as coisas são.” – Debbie Roxarzade, fundadora e CEO da Rachel’s Kitchen

“Em seu núcleo, [empreendedorismo] é uma mentalidade – uma maneira de pensar e agir. É sobre imaginar novas maneiras de resolver problemas e criar valor . Fundamentalmente, empreendedorismo é sobre … a capacidade de reconhecer [e] metodicamente analisar [uma] oportunidade e, finalmente, para capturar [seu] valor “. – Bruce Bachenheimer, professor clínico de gestão e diretor executivo do Laboratório de Empreendedorismo da Pace University

“É importante equilibrar uma visão de negócios forte com uma disposição para abraçar a mudança . A capacidade de ouvir, seja para as opiniões dos clientes ou funcionários, também é parte integrante do sucesso. Enquanto … você deve ter a confiança para fazer suas próprias escolhas, ainda é incrivelmente importante não se tornar desapegado das pessoas cujas necessidades você está tentando satisfazer. – Tirath Kamdar, fundador e CEO da TrueFacet

“Ser um empreendedor é como sair em território desconhecido. É raramente óbvio o que fazer a seguir, e você tem que confiar muito em si mesmo quando se depara com problemas. Há muitos dias em que você sente que as coisas nunca vão funcionar e você está operando em uma perda por meses intermináveis.

Dois professores brasileiros disputam o prêmio Global Teacher Prize em 2019

Dois professores brasileiros, um homem e uma mulher, estão entre os finalistas do prêmio Global Teacher Prize considerado o Prêmio Nobel da Educação. A professora indicada ao prêmio é de São Paulo e desenvolveu um trabalho com robótica e reciclagem em uma escola municipal com muitos alunos carentes.

Debora Garofalo é uma das professoras dos alunos do 9º ano do ensino fundamental de uma escola pública na zona sul de São Paulo. A indicação para o prêmio veio após uma atividade proposta pelos alunos. Eles levaram lixo reciclável para a sala de aula e transformaram em objetos de tecnologia, como um helicóptero feito garrafa de refrigerante e um ar condicionado portátil feito com pote de sorvete.

“Além do trabalho que permitiu uma abordagem sobre a tecnologia eu acho que humanização da educação é fundamental na vida dessas crianças. Acho que foi um dos grandes pontos que fizeram com que eu fosse indicada ao prêmio. A graça do nosso trabalho não é só o ensino de robótica, mas é essa intervenção social. São poucas as escolas que não só produzem conhecimento, mas que também buscam soluções locais”, diz a professora Debora Garofalo.

Professores de 179 países de todo o mundo concorrem ao prêmio Global Teacher Prize. Os avaliadores irão focar em boas práticas educacionais, inovadoras e que causam impacto na comunidade onde o professor indicado leciona.

O outro indicado ao prêmio é o professor Jayse Antonio Ferreira, professor da Escola de Referência em Ensino Médio Frei Orlando, localizada em Itambé, Pernambuco. O professor explorou a diversidade étnica entre os alunos. “A comunidade que eu trabalho na cidade de Itambé é famosa por um grande índice de violência e de morte de jovens. Após os trabalhos que eu venho desenvolvendo junto a escola, Itambé melhorou bastante esses índices com menos casos de violência na região. Eu estudei e me formei em escola pública, trabalho há 12 anos em escola pública e apesar dos problemas, eu não desisto. Meus alunos precisam de mim hoje e por isso faço o meu melhor”, diz Jayse.

O Globo Teacher Prize existe desde 2015 e o prêmio para o vencedor é de US$ 1 milhão, pagos em parcelas nos próximos 5 anos. A ideia é que após o recebimento do prêmio o professor continue atuando em sala de aula. É o terceiro ano que professores brasileiros são indicados. As notícias sobre o três primeiros colocados serão divulgadas na premiação que acontece em março de 2019 em Dubai.

Diferenças sociais e econômicas nos exames são superadas por mentalidade positiva

Um dos maiores e mais importantes exames para estudantes no Brasil, o ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) é o primeiro desafio para quem pretende conquistar uma vaga no ensino superior.

De acordo com o Enem, quem tem as melhores notas são os inscritos do sexo masculino, ainda que a maioria dos avaliados sejam do sexo feminino. O desempenho mais eficiente se estende nas quatro áreas exigidas no exame.

Quem está no grupo das maiores notas em geral tem um perfil semelhante, com a idade de 17 a 19 anos, e são estudantes de escolas particulares com uma renda familiar que ultrapassa os 10.000 reais. Numa pontuação de 0 a 1000, a nota desse grupo é maior que 781.

Conforme demonstra os dados que são do ano de 2016, houve uma diferença de desempenho entre estudantes de diferentes sexos. De acordo com a pesquisa que foi realizada pelo Estado de S. Paulo, são considerados os melhores desempenhos dos dois anos passados, e existe um padrão que se repete que não são notícias.

70% do pais dos alunos entre os 1000 melhores do Enem, já fizeram uma graduação ou pós-graduação. Cerca de um quarto dos pais desses avaliados possui uma renda maior de 17.600 reais.

De acordo com especialistas os estereótipos que permeiam o perfil dos candidatos não podem limitar o desempenho na avaliação. Apesar das diferenças sociais, econômicas e de gêneros, o sistema neurológico tem a mesma capacidade em pessoas com perfis diferentes, ainda que as facilidades e as dificuldades possam influenciar.

Um exame realizado internacionalmente aponta algumas disparidades entre o desempenho de meninas e meninos nas avaliações de Matemática e Ciências. Em geral, o exame conhecido como Pisa, aplicado pelo Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), mostra que é comum um maior resultado dos meninos na área.

A motivação é outro fator fundamental que influencia no resultados dos exame. Estudantes mais motivados tem uma nota 18% mais alta em Ciências que os menos motivados. Ou seja, a mentalidade do estudante é o que mais influencia na nota, e tem até mesmo um poder maior que a origem socioeconômica do inscrito, conforme indica a pesquisa.

Definição de empresa social

O termo ‘Empresa Social’ rapidamente ganhou impulso como forma de descrever um novo movimento importante nos negócios e no empreendedorismo. Para aquelas pessoas que têm se perguntado o que é essa onda de empreendedorismo social? – aqui está nossa opinião sobre o que é uma empresa social e alguns exemplos que incorporam o movimento.

“Uma empresa social é uma empresa orientada para a causa, que movimente a economia local, cuja principal razão de ser é melhorar os objetivos sociais e servir ao bem comum.”

A razão de uma empresa social para ser: Pense desta maneira – existe um empreendimento social para alcançar uma missão social – como fornecer assistência médica ou água potável para os pobres, introduzir energias renováveis, criar empregos para os desempregados ou promover iniciativas educacionais.

“A receita sustentável diferencia uma empresa social de uma instituição de caridade tradicional que depende de financiamento externo na forma de doações ou doações para alcançar sua missão social.”

Embora os lucros não sejam a principal motivação por trás de um empreendimento social, a receita ainda desempenha um papel essencial na sustentabilidade do empreendimento. De fato, a receita sustentável diferencia uma empresa social de uma instituição de caridade tradicional que depende de financiamento externo na forma de doações ou doações para alcançar sua missão social.

Isso não significa que as empresas sociais não possam ser altamente lucrativas, simplesmente significa que, quando estão, sua prioridade é o reinvestimento de lucros em sua missão social, em vez de pagamentos aos acionistas.

Um empreendimento social de sucesso é aquele que equilibra a tensão entre manter a missão social de sua organização e maximizar a produtividade de seu empreendimento para garantir a sustentabilidade.

A diferença entre uma empresa social e um negócio ético: Vale a pena notar as diferenças marcantes entre uma empresa social e um negócio ético. Uma empresa social se concentra em uma missão social e usa o comércio como ferramenta para maximizar a sustentabilidade e o impacto. Um negócio ético centra-se em torno da criação de lucro para seus acionistas, mas adota uma abordagem ética para questões como meio ambiente, práticas comerciais e desenvolvimento comunitário.