Japão passa a permitir mais trabalhadores estrangeiros

Muitas pessoas estão conectadas às redes sociais, a maioria das pessoas que têm alguma conta sempre está informada das novidades que acontecem e em vários assuntos. Nesses dias, um desafio tem movimentado bastante as redes sociais como o Twitter, Facebook e Instagram. O novo desafio não é nada prejudicial e se chama #10YearsChallenge. Vários perfis tanto de pessoas famosas quanto de não famosas estão participando nesse movimento que acumulou nada mais, nada menos que 3,5 milhões de posts no Instagram.

Como umas das várias notícias e das modas que surgem, ela pode passar rápido, mas e as imagens que foram postadas, o que serão feitas com elas?

Algumas pessoas deixaram claro as preocupações em postagens como essas, pois as novidades no mundo das redes sociais precisam ser recebidas com um certo cuidado. A especialista em tecnologia em estratégias digitais Kate O´Neil fala sobre como as empresas de tecnologia estão aproveitando essa moda. Vários investimentos são feitos no ramo de sistemas de reconhecimento facial.

 

Para conseguir avançar no ramo, empresas como o Google e Facebook procuram rastrear quantidade de informações altas para melhorar a inteligência artificial dos robôs. As informações que são fornecidas pelas fotos postadas nas redes sociais são de grande importância para o trabalho que essas empresas querem realizar, tornando a coleta de dados mais fácil. O interesse por essa coleta de informações vem do objetivo de fazer uma publicidade dirigida, pois se um sistema for capaz de identificar um rosto, então poderá trazer ofertas de produtos se baseando no perfil de uma pessoa como características físicas e idade, por exemplo.

 

No caso de identificar pessoas que envelheceram, a tecnologia é útil para pessoas desaparecidas por um longo período. Isso deverá ser possível devido a um cálculo realizado pelo reconhecimento facial para gerar um envelhecimento mais próximo do real. Em um episódio a Amazon, considerada empresa mais valiosa do mundo, depois de começar a vender serviços de reconhecimento facial a agências do governo dos Estados Unidos, despertou preocupações em alguns acionistas e organizações civis. Então houve pedidos para a empresa deixasse de oferecer esse serviço porque além de criminosos poderia também monitorar pessoas inocentes.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *